Escritos extra-ordinários na cidade à espera

por Filipe Reis (CRIA-ISCTE)


Por detrás de cada aviso, mensagem ou desenho afixado na vitrine*, na porta, na janela ou entrada de loja ou prédio, há mãos que teclaram, escreveram e desenharam. Pelo seu próprio punho. Por detrás de cada aviso, mensagem ou desenho há pessoas que viram, de súbito, as suas vidas mudar. Por detrás destes escritos extra-ordinários (lembrando e glosando a noção de “écritures ordinaires” de Daniel Fabre et al) há vidas suspensas. Pequenos negócios ligados ao respirador, patrões e gerentes espreitando oportunidades, trabalhadores e trabalhadoras em asfixia, crianças confinadas com as suas famílias, estafetas “uberizados” a entregar comida.

 

[ clique nas imagens para aumentar ]

Leia mais