Mantenha a distância!

por Elizabeth Pilar Challinor (CRIA)


Esperava a minha vez. Foi ontem, de tarde. Estava na fila. Mas na realidade não havia fila. Havia somente uma pessoa à minha frente a despejar as mercadorias encima do tapete rolante. Olhei para o chão. Vi uma risca com as seguintes palavras escritas: “Mantenha a distância de segurança.” Ri-me. Leia mais

A casa e a rua em tempos de pandemia de COVID-19 (parte 2)

por Diogo da Cruz Ferreira (Doutor em Políticas Sociais PPGPS/UENF),  Teresa Peixoto Faria (Professora/Pesquisadora, UENF/CCH/LEEA), Fernanda Sthel (Graduanda em Ciências Sociais, UENF/CCH), Letícia Crisóstomo (Graduanda em Ciências Sociais, UENF/CCH), Sulamita Ribeiro (Graduanda em Ciências Sociais, UENF/CCH), Igor Souza (Graduando em Ciências Sociais, UENF/CCH)


Nesta Parte 2, apresentamos em imagens e palavras os maneirismos e as invenções possíveis cotidianas, no sentido de De Certeau (2013, 2014), para nos referirmos aos momentos e lugares da cotidianidade de estudantes* em período de medidas restritivas – quarentena, distanciamento e isolamento social – que habitam cidades médias e pequenas situadas, no estado do Rio de Janeiro (RJ), Brasil. Leia mais

A FALTA QUE A FESTA FAZ [1]

por João Leal, Professor no Departamento de Antropologia da NOVA-FCSH, Investigador no CRIA-NOVA FCSH


Os sucessivos confinamentos associados à covid19 levaram ao cancelamento ou à suspensão temporária de muitas festas. Para fazer face a essa suspensão, muitas festas colocaram-se sob o signo da transição digital: recorrendo às redes sociais para partilha de fotografias e vídeos de festas passadas, promovendo lives ou efetuando transmissões online de segmentos rituais sem público, etc. As festas acompanharam assim, de formas muito diversas e criativas, uma das grandes transformações da economia e da sociedade no “novo regime pandémico”, expressa – por exemplo – na generalização do teletrabalho, no aumento significativo do comércio online ou – no campo das artes – na generalização de espetáculos, performances, concertos, exposições etc., online. Estas tendências já vinham de trás, mas aceleraram-se significativamente no decurso da pandemia. Segundo a revista The Economist, durante o primeiro confinamento (entre março e junho de 2020), a transição digital fez em alguns meses um caminho que em condições normais duraria dez anos a fazer. Leia mais

Desigualdades e contrastes socioeconômicos em tempos de pandemia

por Lucas Barreto de Souza, antropólogo/ pesquisador, pós-graduando em antropologia (PPGA/UFBA)


Dissolvidas as divisas entre o interno e o externo (dentro e fora), portas e portões já não há. O olhar perpassa os espaços internos, atravessa interiores, alcança áreas externas além das pequenas divisórias; um giro pelas laterais, teto e solo: porções anterior, laterais, superior, inferior, posteriores … das ruínas alegóricas, ambulantes metamorfoses de cimento e ferro, concreto armado, emblema dos processos de ocupação de imóveis ociosos. Espaços frequentados por perambulantes diurnos e noturnos que deixam seus rastros sobre os rastros do tempo notáveis nas estruturas em sedimentação… Leia mais

CONFINARIA – novas impressões de um Tempo permanentemente (in)certo

Passado um ano do início de um ‘novo’ normal, seguimos mais ou menos confinados sem saber muito bem o que nos espera. Entre aberturas, fechamentos, reaberturas e refechamentos, não ficámos, de facto, todos bem. Muitos já pereceram, muitos sofrem e sofreram. Nunca vivemos todos o mesmo, não sentimos ou somos afectados de forma igual. A diversidade que caracteriza a condição humana também ou, sobretudo, na vulnerabilidade e nos riscos é mais evidente. Não voltámos efectivamente a um tempo ‘regular’ ou seguro, independentemente do ponto de partida de cada um. Mas a vida segue, entre dor, morte, sofrimento, perdas, realizações, adiamentos, criatividades, soluções mais ou menos imaginativas.

Leia mais

CONFINARIA – webinar #1

A pandemia e os seus impactos: um olhar a partir das ciências sociais

com Jean Segata (UFRGS, Brasil), Vitor Grunvald (UFRGS, Brasil), Jorge Varanda (CRIA, Universidade de Coimbra, Portugal), Renato Miguel do Carmo (CIES, ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa), moderação: Paulo Raposo (CRIA, ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa)


Sobre o CONFINARIA – webinar #1

Depois de cerca de um ano de confinamentos totais, parciais e de ondas sucessivas de perturbação pandémica causadas pela pandemia da COVID-19, e ao longo das quais o blog CONFINARIA foi trazendo depoimentos críticos, reflexões mais intimistas, desenhos ou fotos, paisagens sonoras e ensaios, chegou o momento de encetarmos um novo caminho. Pretendemos agora ensaiar um novo formato: webinares ou mesas redondas virtuais onde se convidam especialistas, investigadores, ativistas, membros de coletivos e associações ou instituições, para debater temas articulados com os impactos da pandemia no futuro que está por vir.

Leia mais