A QUARENTENA DA FÉ

por Rita Andrade, doutoranda em Antropologia pelo ISCTE e NOVA FCSH


No dia 14 de março foi anunciado o fecho de uma pequena igreja evangélica na periferia de Lisboa, devido à pandemia. Dias antes do encerramento do país, os migrantes brasileiros assistiam com preocupação ao fim dos cultos. Fim esse já anunciado e previsto.

foto da autora

Foi assim que a igreja começou lentamente a reinventar-se e a contornar as dificuldades impostas pelo estado de emergência. Era necessária uma alternativa. Num ato de esforço coletivo e ultrapassando os obstáculos da falta de recursos ou de conhecimentos para utilizar uma plataforma de reuniões online, conseguiram congregar-se via internet. Cada um em sua casa, mas todos juntos naquilo que passou a ser o seu novo local de celebração.

Uma mudança deste tamanho não se deixa ficar só. Com um nervosismo inicial e algum constrangimento (porque agora a igreja estava dentro das suas casas) foram ligando as câmaras e cada um partilhou aquilo que era a sua intimidade, a sua casa e a sua família. Apesar de distantes, essa exposição, de alguma forma, aproximava-os.

Sem a habitual organização dos diversos momentos da celebração, com alguns problemas de ordem técnica e alguns microfones que ficaram ligados indiscretamente, o culto prosseguiu com alguma confusão. Chegados ao final desse caminho atribulado, mas reconfortante, não poderia deixar de haver espaço para reavivar as relações entre os membros.

Guiados pelo pastor, individualmente cada participante falava na sua experiência face à nova situação, garantindo antes de mais, que toda a família se encontrava bem de saúde. Surgiu, assim, um sentimento de partilha e esperança. Alguns novos membros participaram, incluindo uma senhora que se encontrava retida em Barcelona. O culto que era anteriormente local, passou a ter uma existência ao nível global. Deixou de estar apenas no subúrbio de Lisboa. A igreja encontrou, assim, uma nova forma de existência adaptando-se às exigências da pandemia.

Lisboa, 15 de abril 2020.



Citar este post
CRIA (2020, 19 Abril). A QUARENTENA DA FÉ. CONFINARIA. Recuperado em 27 de Maio de 2024, de https://doi.org/10.58079/n27o

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search