A VIDA APÓS PANDEMIA DA COVID-19

por Mariane Dornelas de Araújo de Silva,  aluna do curso de Psicologia, UNISÃOMIGUEL


Medo, insegurança, ansiedade, luto, essas palavras resumem a atual situação caótica de nosso cotidiano. O isolamento social diante da pandemia da COVID-19 tem impactado significativamente tanto o estado físico quanto o emocional e subjetivo do homem moderno. Momento de crise imprevisível no qual o distanciamento social tem provocado sofrimento psíquico, alterado nossas rotinas, interferido em nossas emoções. As incertezas do amanhã aumentam nosso descontrole emocional diante de uma doença tão grave, nos levando muitas vezes a negar nossa própria condição ou existência. Parece que vivenciamos uma paralização do presente, o esvaziamento do futuro e até mesmo o estranhamento de si.

Img. by Akanksha Srivastav

Ultimamente tenho me pego pensando com mais frequência sobre o que esperar do amanhã. Estamos diante de um novo cenário que nunca imaginei, e me deparo constantemente com pensamentos como: este seria o ano de realizações dos sonhos de alguém; o começo de uma nova história para tantos outros; o tempo certo e ideal para a conclusão e conquista de algo que antes sonhado.

Todavia, vivenciamos tempos de crise mundial; períodos de paralizações, adiamentos ou anulações de projetos de vida, de sonhos, de recomeços. Em outros momentos ou situações, buscaríamos consolo e proteção juntos as pessoas próximas ou amadas. Porém, tal possibilidade também nos foi negada. A COVID-19 se tornou o grande vilão de nossas histórias pessoais e particulares. Vivemos tempos de desolação, de sensações conflituosas, de insegurança constante e, especialmente, de solidão.  Quando imaginaríamos que nos afastar dos amigos, e até mesmo dos nossos pais, se apresentariam como estratégias de proteção? Acredito que nunca!

Então, o que esperar do futuro? Sairemos imunes dessa pandemia? Evoluiremos enquanto seres humanos? Amadureceremos com as próprias experiências, ou apenas voltaremos a cometer os mesmos erros? Construiremos um mundo melhor, com menos angustias e tristezas? Hoje prefiro acreditar que as tantas mortes, as tantas dores e perdas, os tantos lutos carregados de sofrimento sirvam de bases e referências para os processos evolutivos tanto pessoais como coletivos.

Para mim é inevitável não temer o amanhã; não pensar se voltarei a abraçar a quem amo e me faz bem; sobre o que seria de mim caso alguém que muito estimo partisse de repente. Sinto-me desolada e devastada diante de tais possibilidades. Assim, prefiro acreditar em novos frutos, novas vitórias e renascimentos. Prefiro crer em novos sonhos, em continuidades e recomeços.

O desfecho dessa história eu ainda não sei, não conheço. Apenas espero e desejo que sejamos mais pródigos, assertivos, solidários e sensatos no futuro próximo.

Recife (Pernambuco), 7 de junho 2020.


13 comentários em “A VIDA APÓS PANDEMIA DA COVID-19”

  1. Lindo neguinha…..que Deus continue lhe proporcionando sabedoria cada dia mais….sábias palavras onde devemos sim refletir cada vez mais e pedir sabedoria ao senhor para interpretar o que ele quer de cada um de nós! Que Deus nos abençoe. ! PARABÉNS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.