Os infetados

por Marta Maia, investigadora pós-doc (CRIA-ISCTE)


Desde há meses, que me parecem anos, tal não estou eu perdida no tempo que se esvaziou da sua normalidade (normalidade, doce normalidade…), o dia-a-dia é pautado por discursos confusos, notícias angustiantes e imagens assustadoras. “Ninguém escapará ao contágio!” E como escapar ao contágio do pavor e da ansiedade? “Portugueses despedem-se desanimados”. Estaremos mesmo desanimados? “Lisboa é uma “sombra”. Será? A mim parece-me ainda mais bonita sem o ruído das multidões de turistas vagarosos e cidadãos apressados. Leia mais

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search