Diálogos de quarentena, ou os (su)realismos de um mundo trancado

por Mayane Dore, doutoranda em Antropologia pela Universidade Complutense de Madrid (Espanha) e Macquarie University  de Sydney (Austrália)


–  Pode se conectar agora? Tenho novidades!
– Calma aí, tô acabando de lavar a louça. Te ligo em dois minutos!
(…)

Img. by Adrien Converse

– Tô te ligando! Atende!!
– Oi! Desculpa, tava sem som no celular
– E aí? Que novidade é essa?
– Tá preparada?
– Ai meu deus, fala…
– Você vai ser tia!
– Eu???
– Tô grávida!
– Não acredito!! Vou ser tia!!
– Tá feliz?
– Muito! E eu que pensava que a gente tava entrando em guerra civil…
– Pelo jeito a gente ainda tá conseguindo gerar vida no meio de tudo isso
– E qual o nome?
– Tava pensando em Tagliatelle, o que você acha?

***

– Hola mi amor! ¿Estás despierta?
– Oi! Tô aqui!
– Você viu que o primeiro ministro disse que não vai abrir as fronteiras tão cedo?
– Nem pra famílias que estão separadas?
– Talvez pra estudante internacional
– De qualquer país?
– Aham, só que tem que pagar antes a matrícula
– Talvez a gente possa pedir uma excessão pra poder entrar no país, se não a gente vai ficar sabe-se lá quanto tempo separados
– Vamos tentar, tô juntando aqui uns documentos
– Não esquece da carta do psicólogo! Vamos juntar tudo!
– Já pedi pra ele. Agora tô buscando os certificados de vacina.

– E como tão as coisas aí sem turistas e de fronteiras fechadas?
– Não sei, tô em casa…
– Dizem que o ar tá mais limpo
– Tá mesmo! Ontem guardei um pouco dele num potinho
– Fecha bem pra não perder
– Mais fechado impossível!
– E cuidado pra não quebrar

– Hoje é sábado já?
– Não sei, tô meio perdida.
– Porque domingo vi que vai tem eclipse
– Sério? Vou tentar ver!
– Não esquece do potinho!

***

– Oi, filha!
– Oiii!
– Estamos organizando uma festa pra sua vó no zoom
– Oba! Conte comigo!
– Só não fala nada de Bolsonaro, tá? É aniversário da sua vó. Vamos evitar brigas!
– Tá bom…

(…)

– Oi, vó! Parabéns!
– (ela responde algo que ninguém ouve)
– Vó, você tá sem áudio! Aperta esse botão com um microfone vermelho!
– (procurando botão…)

– Alô? Agora foi?
– Aeee! Agora foi! Parabéns, vó!
– Obrigada, minha filha! Tô ficando mais velha, mas com saúde, graças a Deus!
– Como tá tudo por aí?
– Tudo bem! Aqui em Macaé o prefeito tá fazendo tudo direitinho.
– Que bom vó, se cuida, viu!
– Não como aquele danado do Bolsonaro

(Silêncio)

– Aquela cloroquina não é boa pra gente não…
– Pois é…Toma cuidado, vó, melhor não tomar não!
– Deu ontem na Globo, mostraram tudo!

(Silêncio)

– Nunca vi uma reunião daquelas, menina! Quanto palavrão! Como pode um presidente falar desse jeito?
– Pois é, vó…

(Silêncio)

– A ligação tá meio ruim…

(Imagem congela)

– Vó?!
– Vó?

(Ligação cai)

– Parabéns, vó…

***

– Oi, amiga! Saudades!
– Como você tá?
– Acabei de ver que demitiram o ministro de saúde
– No meio da pandemia?
– Pois é, estamos sem ministro
– Mas talvez não seja tão ruim não ter ministro
– Virou anarquista agora?
– É que ontem tava entendiada e fui o ler o livro do Clastres

– O governo aqui aprovou uma transição energética pra 2050
– 2050? Daqui há 6 meses acaba minha bolsa…
– E aí?
– Não sei, tão falando que a gente não precisam mais de antropólogo…
– Aquele ministro que acha que a terra plana?
– Esse mesmo.
– Mas e o ministro astronauta? Não fala nada?
– Deve tá ocupado com a live da SpaceX
– Com o quê?
– Aquela empresa do dono da Tesla. Mandaram ontem umas pessoas pro espaço.
– Mas e as manifestações que tavam rolando nos EUA?
– Continuam rolando.
– E a pandemia?
– Continua rolando.
– E tão mandando foguete pro espaço?
– É que como ele é bilionário, conseguiu mandar sozinho gente pro espaço
– Ah! Para! Você vai politizar até o espaço?
– Não! Eu amo o espaço!
– Deixa eu sonhar pelo menos com o espaço, né…

– Mas você viu as lives da spaceX?
– Tô vendo agora
– Eles podiam ensinar pra gente como sobreviver trancado por tanto tempo numa nave
– Lá pelo menos eles têm uma vista bonita
– Você gostaria de ir pro espaço?
– Eu acho que voltaria meio louca pra Terra
– Isso me lembra aquele filme da Annie Hall, sabe?
– Do Woody Allen?
– Isso! Quando ele diz pro psicólogo que não faz os deveres de casa porque o universo se expande

– O universo tá expandindo?
– O universo tá expandindo.
– E eles conseguem ver isso lá de cima?
– Talvez se sintam um pouco mais leves, sabe? Meio que flutuando no tempo.
– Tem certeza que tá expandindo? Aqui em casa parece que tudo parou no tempo.
– Sei lá, olha pela janela.
(…)

– Tô me sentindo tão pequininha daqui de dentro…
– O Calvino fala que a gente veio de um ponto, que antes tudo acontecia exprimido num ponto. Talvez a gente só esteja voltando de onde veio.
– O big bang você quer dizer?
– Não, na verdade foi a Ph(i)Nko que precisava de mais espaço pra fazer tagliatelle e criou o mundo.
– Você quer dizer que a gente precisa se contrair pra expandir de novo?
– Pelo menos foi assim que eles criaram estrelas, sóis e luas novas.

“o ponto que continha a nós todos se expandia numa auréola de distâncias de anos-luz e séculos-luz e milhares de milênios-luz, e éramos projetados para os quatro cantos do universo (o sr. Pbert Pberd foi bater em Pavia), e ela se dissolveu não sei em que espécie de energia luz calor, ela, a sra. Ph(i)Nko, aquela que em meio ao nosso fechado mundo mesquinho fora capaz de um impulso generoso, o primeiro, “Ah, pessoal, que tagliatelle eu prepararia!”, um verdadeiro impulso de amor geral, dando início no mesmo instante ao conceito de espaço, e ao espaço propriamente dito, e ao tempo, e à gravitação universal, e ao universo gravitante, tornando possíveis milhares e milhares de sóis, de planetas, de campos de trigo e de sras. Ph(i)Nko, esparsas pelos continentes dos planetas batendo a massa com seus braços enfarinhados, untuosos e generosos, enquanto ela se perdia a partir daquele instante, deixando-nos a recordá-la saudosos.”

– Que bonito, adoro tagliatelle.
– Sabia que vou ser tia?

Entre Sydney-Rio-Madrid, 29 de junho 2020.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.